Arquivo da tag: angola

EDITADONA DIA MUNDIAL DA LÍNGUA PORTUGUESA NA WIKIPEDIA

Editadona Wikipedia_FCDMLP

A Frente Cultural do Dia Mundial da Língua Portuguesa foi constituída em 2020 para celebrar o Dia Mundial da Língua Portuguesa, comemorado pela primeira vez em 2020, com participação de diversos profissionais (educadores, editores, autores e integrantes do “mundo editorial”) e outros voluntários.

A Aquarela Brasileira Livros é uma das entidades apoiadoras desta iniciativa.

Desde então, foram realizados 15 webinários, envolvendo diversos convidados, para tratar temas de integração, produção, educação em língua portuguesa no mundo, publicadas no canal da FCLP no YouTube (youtube.com/c/FrenteCulturaldaLínguaPortuguesa).

Desta feita, no próximo dia 5 de maio de 2021, a Frente Cultural, em conjunto com o Wiki Movimento Brasil, propõe realizar um evento de lançamento para “incrementar” a quantidade de verbetes em língua portuguesa naquela que é a maior experiência coletiva de criação colaborativa compartilhada de conhecimentos, que é a Wikipédia.

Verbetes em língua portuguesa, num breve histórico:

  • 9 de junho de 2001 – A Wikipédia em português tem seu primeiro artigo criado.
  • 1 de março de 2003 – A Wikipédia em português alcança a marca de 1 000 artigos.
  • 22 de abril de 2004 – A Wikipédia em português alcança a marca de 5 000 artigos.
  • 9 de julho de 2004 – A Wikipédia em português alcança a marca de 10 000 artigos.
  • 21 de maio de 2005 – A Wikipédia em português alcança a marca de 50 000 artigos.
  • 26 de janeiro de 2006 – A Wikipédia em português alcança a marca de 100 000 artigos.
  • 29 de novembro de 2006 – A Wikipédia em português alcança a marca de 200 000 artigos.
  • 10 de outubro de 2007 – A Wikipédia em português alcança a marca de 300 000 artigos.
  • 22 de junho de 2008 – A Wikipédia em português alcança a marca de 400 000 artigos.
  • 12 de agosto de 2009 – A Wikipédia em português alcança a marca de 500 000 artigos.
  • 17 de agosto de 2010 – A Wikipédia em português alcança a marca de 600 000 artigos.
  • 8 de outubro de 2011 – A Wikipédia em português alcança a marca de 700 000 artigos.
  • 2 de outubro de 2013 – A Wikipédia em português alcança a marca de 800 000 artigos.
  • 27 de dezembro de 2015 – A Wikipédia em português alcança a marca de 900 000 artigos.
  • 26 de junho de 2018 – A Wikipédia em português alcança a marca de 1 000 000 de artigos.

Embora a língua portuguesa seja a 6ª mais falada nativamente no mundo, na Wikipédia nosso idioma está em 18º lugar (com um milhão e sessenta e cinco mil verbetes). A wikipédia lusófona reúne atualmente onze mil editores ativos.

A celebração do DMLP em 2021
Lançaremos neste próximo Dia Mundial da Língua Portuguesa, 5 de maio de 2021, uma iniciativa que se inicia nessa data e durante um ano, até a próxima, pretende fomentar a criação de novos verbetes, bem como proporcionar a melhoria daqueles já existentes, com foco em obras literárias num primeiro momento. Além de livros e autores, também entidades e outros temas ligados à cultura serão estimulados.

O projeto inicia com a realização de uma EDITATONA (maratona de edição), realizada via plataforma Zoom das 15h às 18h (hora de Brasília), mediante inscrição prévia, totalmente gratuita. A ideia é estimular um grupo de colaboradores voluntários a se cadastrarem e aprenderem a editar verbetes existentes, para depois poderem criar verbetes novos.

Estamos mobilizando interessados em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, e Timor-Leste, e também professores de português em países estrangeiros, da Europa, EUA, China etc.

Entendemos que esta é também uma interessante oportunidade para as editoras checarem qual é a sua presença na Wikipédia, pesquisando quais obras e autores estão presentes e qual a qualidade e profundidade das informações ali publicadas.

Cada verbete na Wikipédia é um corpo vivo, que pode ser editado e complementado por qualquer colaborador inscrito. Contradições e dilemas são resolvidos com uma experiente gestão coletiva.

COMO PARTICIPAR
As inscrições devem ser feitas em bit.ly/3drcvkY 

Você pode ver as editoras e entidades que já estão a apoiar a iniciativa em w.wiki/3CHs (nesta página tem o resumo da atividade e a relação das editoras e entidades que já estão a apoiar o projeto).

Faça o download aqui do documento com todas as instruções: Editatona Wikipédia FCLP – release

Neste nosso site poderão encontrar mais informações: http://dmlp.utopia.com.br 

Origem e Ruína

Origem e ruína_capa 3dOrigem e Ruína, de Paulo Branco Lima, novo lançamento da Aquarela Brasileira Livros, é um romance ambientado em Angola, Portugal e Venezuela

O ponto de vista original da história de Origem e Ruína centra-se nas peripécias de uma paixão vivida entre um angolano aventureiro e uma mulher-polícia portuguesa, relacionamento que é elevado à potência de cosmogonia pela arte de Paulo Branco Lima.

Começando em Angola, passando pelo drama dos retornados em Portugal e culminando num retrato minucioso da emigração lusófona na Venezuela, o autor, através de uma narrativa de raiz cíclica e de uma recriação do mito camoniano de Adamastor, conduz-nos numa viagem metafísica onde o poder de imaginação é o grande carburante. Nesta senda, e através de uma abordagem psico-social ainda pouco explorada pela literatura portuguesa, a leitura de Origem e Ruína projeta-se para paralelismos totalmente inesperados, num cruzamento brilhante entre realismo e dimensões cósmicas de beleza desconhecida. O resultado é um livro de imagens fortes e ritmo narrativo galopante, um autêntico “page turner”, sugerindo uma adaptação cinematográfica com toda a naturalidade .

Nas palavras do prefaciador Abílio Hernandez, “Paulo Branco Lima percorre os labirintos da memória e do passado para que no final da errância se possa produzir o equilíbrio e a catarse. Desta errância, não é só o itinerário que nos é oferecido, é também o retrato dos itinerantes, dos que vagueiam, isto é, dos que erram, perseguindo a felicidade. Um peregrinar tão longo faz do tempo o inimigo do peregrino, que não precisa de relógio para o medir”.

Como também destaca o tradutor Mário Gomes, doutorado em Teoria da Literatura pelas universidades de Bona e Florença, e professor visitante e leitor do DAAD (Serviço de Intercâmbio Académico Alemão) na Universidade de Concepción (Chile), “assim que tive Origem e Ruína em mãos, li-o de rajada. E concluí, com toda a objetividade do mundo, que tinha acabado de ler uma das propostas mais interessantes da literatura portuguesa: um romance a meio caminho entre o cut-up e a loucura, em que se entretecia a origem de tudo (e «tudo» neste caso é sinónimo de «Universo») com o quase-nada familiar: o macro mais macro com o micro mais micro. Explosões cósmicas, básculas de pesar camiões na Venezuela, bairros residenciais de Coimbra, tudo à mesma escala”.

A presente edição de Origem e Ruína, que foi primeiramente publicado em Portugal no ano de 2013, para seu lançamento no Brasil contou com o apoio da DGLAB – Direcão-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas.

Esta é uma oportunidade nova para os leitores conhecerem a obra de estreia de Paulo Branco Lima, que virou referência no âmbito das relações literárias entre África, América do Sul e Portugal. A reedição de Origem e Ruína conta com prefácio de Abílio Hernandez, docente de História e Estética do Cinema da Universidade de Coimbra, além de uma revisão atualizada e grafismo inovador. Trata-se de uma edição cuidada, consequência da estreita colaboração entre o escritor e a Aquarela Brasileira Livros, que abraçou esta aposta editorial, igualmente disponível no mercado português.

No Brasil, a reedição de Origem e Ruína já foi apresentada na Casa de Portugal, em São Paulo, no dia 10 de dezembro de 2019, com intervenções de José Santos (BR), Wagner Merije (BR-PT), Carlos Seabra (PT) e Hélder Grau Santos (PT), entre outros escritores e escritoras e convidados presentes. Em 17 de Dezembro de 2019 teve lugar uma apresentação em Belo Horizonte, na Livraria do Belas, com apresentação de Ana Elisa Ribeiro (BR), Wagner Merije, Rômulo Garcias (BR), Hélder Grau Santos, com participação especial do Cônsul de Portugal, Dr. Rui Almeida.

Em Portugal para breve serão anunciados datas de apresentações.

 

SOBRE O AUTOR
Paulo Branco Lima é escritor, ator, performer, investigador literário e produtor cultural. Licenciado em Jornalismo e Mestre em Literatura de Língua Portuguesa pela Universidade de Coimbra, recentemente publicou os romances Peregrinação Crioula (Aquarela Brasileira Livros, 2019) – selecionado para o Prêmio Oceanos 2020 – e a segunda edição de Origem e Ruína (Aquarela Brasileira Livros, 2019). Enquanto autor, fomenta alicerces nas obras de William Faulkner, Camilo Castelo Branco, Pepetela, Vitorino Nemésio e Guimarães Rosa. Membro do Centro de Literatura Portuguesa da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, é colaborador regular da Revista de Estudos Literários e das publicações angolanas O Chá e Jornal Cultura. O seu trabalho foi destacado por vários veículos de comunicação em Portugal e África. Saiba mais em RTP África Mar de Letras https://www.youtube.com/watch?v=4xh8XFspE1U&t=20s e também em https://www.youtube.com/watch?v=YN6Q9WVdG8w Na atualidade exerce funções de produtor executivo no equipamento cultural Convento São Francisco, em Coimbra.

 

DADOS DO LIVRO
Título: Origem e Ruína
Autor: Paulo Branco Lima
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Romance
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 140
ISBN: 978-85-92552-12-1
DL: 460652/19
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/origem-e-ruina
Encomendas: faleaquarela@gmail.com

Conheça nosso catálogo em www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros

Paulo_Branco_Lima 1 ©Miguel Von Driburg
Paulo_Branco_Lima 1 ©Miguel Von Driburg