Arquivo da tag: aquarela brasileira

Aquarela Brasileira na Pátio 42: Mercado + Arte

Pátio 42_logoNo sábado, 27/08/2016, a Aquarela Brasileira participa do evento Pátio 42.

Estaremos lá com nosso stand com livros, camisetas, DVDs, CDs e outros presentes artísticos bacanas.

A programação conta com feira de arte impressa + mesa de conversa + música + comidinhas – ENTRADA GRATUITA!

No Pátio 42 sempre há um debate com 4 palestrantes sobre 2 temas. A mesa deste sábado será sobre mercado e arte e terá a participação de Adriana Terra (Red Bull Station), Alexandre Sato (coletivo oitentaedois), Madô Lopez (Vadia Project) e João Varella (Lote 42). Começa às 16h20 e a participação é gratuita.

A discotecagem do Pátio 42 será de Debora Mello, do Coletivo Trama, que dá mais visibilidade feminina na música. Serão ritmos livres, do afro ao leste europeu, de orgânicos ácidos à música eletrônica, do folclórico ao espacial.

O Pátio 42 rola sempre no 4º sábado de cada mês na Unibes Cultural, que fica na Rua Oscar Freire 2.500 (vizinha do metrô Sumaré), na cidade de São Paulo.

Trinta Anos-Luz em Brasília

O lançamento em Brasília/DF do livro “Trinta Anos-Luz: poetas celebram 30 anos do Psiu Poético” aconteceu em duas etapas no dia 29/06/16:  primeiro uma palestra sobre o evento no Beijódromo da Fundação Darcy Ribeiro e depois noite de autógrafos e sarau na livraria Sebinho.

Sucesso total, com destaque na imprensa local e participação de mais de 50 poetas, além dos convidados e amigos.

Confira algumas imagens:

Cidade em transe: lançamento no Maranhão

O lançamento do livro “Cidade em transe” (Aquarela Brasileira Livros, 2014), de Wagner Merije, em São Luís, capital do Maranhão, foi um sucesso de crítica e público.

Os dois principais jornais do estado (O Estado do Maranhão e O Imparcial) deram página inteira para o livro e o autor e as vendas foram bem expressivas.

Maranhão_recortado Cidade em transe_O Imparcial_210616

Trinta Anos-Luz: poetas celebram 30 anos de Psiu Poético

Psiu Capa Psiu 4a Capa

30 ANOS DE HISTÓRIA CONTADA COM POESIA

Antologia celebra 30 anos do Salão Nacional de Poesia Psiu Póetico

Trinta afiados poetas de diversas regiões do País reunidos em um livro que representa 30 anos do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético – um objeto estético que tem o desafio de atravessar, pelo menos, mais três décadas de poesia.

Trata-se de “Trinta Anos-Luz: poetas celebram 30 anos do Psiu Poético”, título da antologia poética organizada pelos poetas Aroldo Pereira (MG), Luis Turiba (RJ) e Wagner Merije (SP) e que será lançado nacionalmente pela Aquarela Brasileira Livros, de São Paulo.

Esta antologia reúne algumas/alguns das(os) poetas mais criativos e originais em atividade. Fazem parte Adri Aleixo, Ana Elisa Ribeiro, Anelito de Oliveira, Antônio Wagner Rocha, Aroldo Pereira, Celso Borges, Cristiano Ottoni de Menezes, Demetrios Galvão, Éle Semog, Jairo Fará, João Diniz, Karla Celene Campos, Lia Testa, Luis Turiba, Márcio Adriano Moraes, Marlene Bandeira, Marli Fróes, Mirna Mendes, Murilo Antunes, Nicolas Behr, Noélia Ribeiro, Olivia Ikeda, Patrícia Giseli, Renilson Durães, Rômulo Garcias, Ronald Augusto, Sandra Fonseca, Vanderley Mendonça, Virna Teixeira e Wagner Merije.

O primeiro de uma série de lançamentos pelo país acontece no próximo dia 10 de junho no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, a partir das 20:00 horas.

A partir das 19:00 horas, o poeta Aroldo Pereira fará uma palestra sobre a história dos “30 anos de Psiu Poético – a grande Festa da Poesia Brasileira em Minas Gerais”, na sala Juvenal Dias, no Palácio das Artes. O Salão de Poesia, um movimento cultural, sempre acontece no mês de outubro entre os dias 04 e 12 na cidade de Montes Claros, norte de Minas Gerais, vizinha do Vale do Jequitinhonha.

O segundo lançamento do livro será em Brasília (cidade em que nasceu o Psiu Poético dentro dos corredores da UnB) dia 29 de junho, na livraria Sebinho, antecipado pela palestra proferida por Aroldo Pereira no Beijódromo da Fundação Cultural Darcy Ribeiro, no campus da UnB. Na segunda quinzena de julho, o Psiu Poético receberá homenagem da Universidade Federal no Inverno Cultural de São João Del Rey, onde também haverá uma palestra e o lançamento do livro.

A antologia é saudada por dois professores pós-doutores em Literatura, além de um texto de apresentação do cantor e compositor Jorge Mautner, que sempre frequentou o Psiu Poético. Coube ao professor-poeta Anelito de Oliveira, que viu o Salão nascer na década de 80, pois é titular da Universidade Estadual de Montes Claros, parceira do projeto, escrever um pequeno ensaio sobre a aventura estética da edição. Crítico literário, Anelito é ex-editor do Suplemento Literário de Minas Gerais (1999-2003).
Segundo ele, “Trinta Anos-Luz…” parece “mais produtivo, mais inquietante, da perspectiva de um ‘fluxo’ do que da perspectiva de um ‘fixo’, recordando as categorias do grande Milton Santos: mais como um movimento num processo infinito do que como um lugar de chegada, uma conclusão.

Não só porque várias outras antologias reunindo poemas de participantes do evento foram editadas pela editora Plurarts, do poeta Wagner Torres, editora Millennium, com o poeta Dário Cotrim, e a editora Catrumano, do poeta Jurandir Barbosa, nos últimos anos, mas porque o registro escrito nunca correspondeu à totalidade do Psiu Poético, apesar de ter sido, e continuar sendo, a parte estruturante do evento. Aqui, como nas demais antologias já publicadas, sentimos, sobretudo, a impossibilidade de apresentação do Psiu em sua integralidade, seu caldeirão de linguagens, que paradoxalmente faz deste livro uma metáfora precisa do que é o evento: algo incontível, transbordante, sertânico, glauberiano, riobáldico, mas fundamentalmente pereiriano, vinculado ao fervor criativo de Aroldo Pereira, um poeta ‘full time’.”

Para Anelito, não se trata de uma antologia empenhada em legitimar nomes, “até porque muitos aqui já estão legitimados, mas antes de uma mostra que visa configurar um desenho, tanto quanto possível, sobre o Psiu Poético, revelando, a partir da pluralidade de linguagens, o traço distintivo, referencial do Psiu Poético, que é o convívio dos diferentes como diferentes, sem que seja necessário suprimir suas diferenças.“

A professora Ivone Daré Rabello, do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, no seu texto-comentário, afirma que a antologia reúne ”muitas vozes, muitos temas, muitos modos de expressão. Nesta antologia, escrita a trinta mãos, o interesse não está na diversidade de pontos de vista, escolhas de linguagem, opções imagéticas e estilísticas. Nem na dificuldade em atingir de fato a plena realização formal. Essa diversidade e essa dificuldade são seus pressupostos. O interesse mais autêntico está nas surpresas e nas ponderações a que ela nos conduz.”
Visite o sitio www.psiupoetico.com.br

Dados técnicos do livro
Título: Trinta Anos-Luz : Poetas celebram 30 anos de Psiu Poético
Editora: Aquarela Brasileira (aquarelabrasileira.com.br)
Gênero: Poesia
Formato: 16×23 cm
Número de páginas: 200
ISBN: 978-85-92552-01-5
Preço: R$ 35,00

……… AGENDA DE LANÇAMENTOS ………
2016
Junho
Belo Horizonte/MG – Palácio das Artes – 10/06

Brasília/DF – Sebinho e Beijódromo da Fundação Darcy Ribeiro – 29/06

Julho
São João Del Rey – UFSJDR – 15/07

São Paulo  – Casa das Rosas  – 29/07

Setembro
Rio de Janeiro – Galeria Índica Arte e Design – 17/09

 

aquarela brasileira_logo_final

A arte do Brasil em primeiro lugar

Em breve teremos uma nova loja Aquarela Brasileira para você adquirir todas as nossas criações e lembranças de outros criadores e parceiros.

AGUARDE!!!

 

 

Leve um livro

Leve um livro completa

Poesia circulando nas ruas, para o maior número possível de pessoas. Essa foi a ideia que motivou a criação da coleção Leve um Livro.

Seja em blogs, zines, revistas, saraus ou edições independentes, a poesia brasileira contemporânea mostra vigor e criatividade, com uma grande variedade de estilos e dicções. “O objetivo é justamente dar uma amostra dessa produção, colocando para circular o trabalho de poetas de todas as partes do país”,  contam os editores Ana Elisa Ribeiro e Bruno Brum.

O funcionamento da coleção é bastante simples: são convidados poetas de todo o Brasil para publicar microantologias. Os livros são feitos especialmente para a coleção, com projeto gráfico exclusivo, e são distribuídos gratuitamente, em diversos pontos de Belo Horizonte, onde o projeto surgiu.

Leve um livro_Fabricio Corsaletti

A Aquarela Brasileira, em parceria com os editores, está empenhada no projeto de levar a Coleção Leve um Livro para outras cidades do Brasil. Aguardem novidades!Leve um livro 4Enquanto isso, confira o site da Coleção Leve um livro e baixe gratuitamente os livros já publicados. Boa leitura!

psiu poético 30 anos_arte

PSIU POÉTICO, 30 anos celebrando a poesia

Um caldeirão ferve a poesia do Brasil. Em 2016 o Salão Nacional de Poesia Psiu Poético celebra os 30 anos de existência. O Psiu Poético é referência no fomento e valorização da literatura brasileira.

Nos seus 30 anos de existência influenciou gerações, se firmando como um projeto de resistência cultural, responsável diretamente pela formação de leitores, escritores, poetas e artistas.

A poesia está em toda parte, mas no Psiu Poético ela extrapola espaços, vai para as ruas, para as escolas, para a rodoviária, para o Mercado Central, para a universidade, para o Centro Cultural e para os bares noite afora. A poesia não tem regras, mas no Psiu Poético ela ganha em espontaneidade, com os saraus à queima roupa que rolam onde tem quem queira ouvir poesia e participar de uma festa onde os poetas são estrelas de muitas faces.

E quantos poetas incríveis desse Brasil rico em poesia já pisaram o chão sagrado do Psiu Poético, que os convida para Montes Claros e os trata com a melhor das carnes de sol com mandioca do mundo.

Nas suas três décadas de ampla atividade literária e agitação cultural, o Psiu Poético recebeu escritores como Alice Ruiz, Mirna Mendes, Arnaldo Antunes, Waly Salomão, Madam, Olga Savary, Thiago de Mello, Jorge Mautner, Adão Ventura, Edvaldo Santana, Sebastião Nunes, Virna Teixeira, Péricles Cavalcanti, Estrela Leminski, Adélia Prado, Mano Melo, Rodrigo Garcia Lopes, Anelito de Oliveira, Ademir Assunção, Wagner Merije, Ricardo Aleixo, Fernando Aguiar e tantos outros. Todo ano alguns recebem homenagens.
É uma  maravilha de encontro literário em um cenário e clima especial: no cerrado mineiro onde o sol brilha forte.

Se você não conhece, tem que conhecer! Tem que participar! Tem que colocar no calendário das festividades que vale a pena o evento e a viagem, em todos os sentidos.

OCUPAÇÃO SÃO PAULO

Em fevereiro e março, o Psiu Poético ocupa São Paulo e realiza uma jornada de eventos literários e de formação. A Aquarela Brasileira entra na celebração para agregar.

29/02 – Contextos Literários – Literatura Independente – Sesc Consolação
O curador Aroldo Pereira apresentará a palestra “Salão Nacional de Poesia Psiu Poético – produção de eventos poéticos fora do eixo Rio/São Paulo”. – Das 19h15 às 21h30

02/03 – Celebração dos 30 anos do Psiu Poético – Casa das Rosas Espaço Haroldo de Campos – Das 19h30 às 22h30 – Avenida Paulista, 37

03/03 – Patuscada Bar e Livraria – Sarau – Das 20h à meia noite – Rua Luís Murat, 40

Poetas e escritores do norte de Minas estarão presentes nos eventos, como Téo Azevedo, Anelito de Oliveira, Karla Celene Campos, Sandra Fonseca, Marlene Bandeira, Andreia Martins, Renilson Durães, Marcio Moraes, Geovane Sassá, Marcin da Gaita, entre outros.

A celebração dos 30 anos em São Paulo contará também com os poetas Luis Turiba (Pernambuco), Noélia Ribeiro (Brasília), Ricardo Silvestrin (Rio Grande do Sul),  Jairo Fará (São João Del Rei), Wellinton Kalil (Belo Horizonte) e também os parceiros de São Paulo, como Wagner Merije, Jurandir Barbosa, Mavot Sirc, Andrea Martins, Eduardo Lacerda (Editora Patuá), Rógeres Gusmão Silva, entre outros (em confirmação).

Em todos esses eventos estão previstos lançamentos de livros, entre os quais “Antologia do 29º Salão Nacional de poesia Psiu Poético (coletivo)”,  “Poetrikza”, de Aroldo Pereira, “Dez violinos marinhos e uma guitarra de sal”, de Sandra Fonseca, “Crepúsculo de Arame”, de Wagner Rocha, “Outras Pelejas”, de Jurandir Barbosa, “Todas as Vozes”, de Aciomar de Oliveira, “Escalafobética”, de Noélia Ribeiro, “Um facho de sol como cachecol”, de Petrônio Souza, “Inoncentes Eróticos”, de Luis Turiba, “O lado de dentro das coisas”, de Karla Celene Campos, “Sobras completas”, de Jovino Machado, “Cidade em transe”, de Wagner Merije, entre outros.

Do programa faz parte ainda a performance “Utopias Possíveis”, de Brenda Marques, e exibição dos vídeos “Me Encontre na Rua”, de Elza Cohen, “Poesia Singular’, direção de Ana Paula Gusmão & Hernane Alves, “Eu sou da sua laia”, de Adilson Cardoso, “Divergência do Amor” e “Minuto de Poesia”, de Jairo Fará, entre outros.

Em outubro o Psiu Poético passará por uma de suas maiores edições. Grandes nomes da poesia brasileira estarão presentes em Montes Claros. Muitas surpresas aguardam a 30º Edição do mais longínquo festival de poesia do Brasil.

E em breve será lançado o livro “30 – Poetas Celebram os 30 Anos do Psiu Poético”, com participação de poetas de vários estados do Brasil.

Mais informações

Acompanhe mais informações no site do Psiu Poético

Entrevistas, fotos: psiupoetico@gmail.com ou faleaquarela@gmail.com

Fone: (11) 9 9821-1330

Torpedos

 

Torpedos

Em “Torpedos”, o escritor Wagner Merije propõe o resgate da poesia, utilizando mensagens via celular e redes sociais para aproximar o leitor

 

“Literatura ao alcance de quem gosta de ler e de quem ainda não sabe que gosta”. Com essas palavras o autor Wagner Merije sintetiza o conceito de seu mais recente trabalho “Torpedos”. Um livro de leitura rápida, com pequenos poemas que divertem e remetem a reflexão. “A poesia, apesar de relegada, cada dia se torna mais importante para darmos conta desse mundo louco. Poesia é bálsamo, refresco, alívio, leva a gente para paraísos que nem sempre são visitados.” diz Wagner.

“Torpedos” reúne poemas, como se fossem mensagens rápidas criadas para informar e conectar. Em formato de bolso, o terceiro livro deste mineiro permeia justamente a atmosfera das conexões instantâneas. Textos produzidos através de mensagens SMS e redes sociais serviram de inspiração para dar forma e também como um termômetro para a escolha do que entraria de fato em sua publicação.

Além de poeta, Wagner é um criador múltiplo, envolvido com projetos multimídia voltados à música, literatura, vídeo e fotografia. Não é por acaso que a sua arte é associada a essa interatividade com as tecnologias da comunicação. Ao longo de sua carreira, Wagner faz uso de ferramentas digitais, despertando a atenção e interesse de jovens e pessoas ligadas à educação e a arte.

O livro nasce apadrinhado pelo escritor pernambucano, Marcelino Freire, que registra no prefácio a honrosa tarefa de Merije em tornar a poesia algo democrático. O lançamento do livro acontecerá em várias capitais do país.

 

ALGUNS POEMAS

Com poucos caracteres
se escreve o que é preciso
Palavra de Narciso

Vivo pescando versos
Como quem reza um terço
E conta certo
Com um milagre

Hipnotizo palavras
Domo frases selvagens
Escrevo com tinta de constelações
Falo pelo indizível
Poesia chama
Poesia é chama

Livros nos observam
Para depois contar
histórias
Lembrar lembranças

Todo dia recito cem versos
Para que o dia fique bem diverso

Quando a palavra encontra rima
Uma estrofe pode virar obra-prima

As palavras carregam
Histórias dos séculos
Escrevo para testemunhar
O que não vivi

Desliguei-me da lógica
racional
Faz tempo
Sou poeta, laboratório
transpessoal, expressão
Contratempo

Eis os meus haikais
sem sê-los
Uma flecha
Um torpedo
Poesia
Nas teclas
Na ponta
dos dedos

Era um terreno pedregoso
Removi pedras e escorpiões
E dei o nome de rua da poesia

 

PREFÁCIO

Minha mensagem:

Escreverei algo, rápido.
Digo: é livro para navegar.
Sair pescando versos, como bem diz o autor.
Jogar-se na rede. Para balançar.
É coisa para ler em um toque. Um clique.
Em um piscar de dedos.
Poesia na ponta do mouse. Ave! Sem medo.
Puro divertimento.
De mansinho amanhecendo.
Gosto disto.
De quem não fica adiando o sentimento.
De quem, como Merije, solta o verbo, a luz, o
flash. Deixa a poesia fácil.
Nada de nadar difícil.
Mergulha e acontece.
“Dei meu nome ao impossível”.
É assim, pois, que se escreve.

Marcelino Freire é escritor . É autor, entre outros, dos
livros “Angu de Sangue” (Ateliê Editorial), “Contos
Negreiros” (Editora Record – Prêmio Jabuti 2006), “Amar
É Crime”(Edith, 2011). Em 2004, idealizou e organizou
a antologia “Os Cem Menores Contos Brasileiros do
Século” (Ateliê). Criou a Balada Literária.

Sobre o autor
Wagner Merije é poeta, escritor, jornalista, gestor cultural, curador, criador audiovisual e editor. Publicou os livros Mexidinho (2017), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), Cidade em transe (2015), Viagem a Minas Gerais (2013), Torpedos (2012), Mobimento – Educação e Comunicação Mobile (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013, e Turnê do Encantamento (2009), lançados em alguns dos principais eventos literários do país. Sua escrita também está em antologias e em outras mídias. Tem músicas em discos, filmes, séries e programas de TV. Recebeu os prêmios Sesc Sated (2003), Prêmio Tim da Música Brasileira (2005), Rumos Itaú Cultural (2008), Inovação Educativa Fundação Telefônica – OEI (2011) e Prêmio da Música Brasileira (2013). Mantém o site www.merije.com.br

Ficha técnica
Título: Torpedos
Autor: Wagner Merije
Editora: Aquarela Brasileira
Número de páginas: 120 págs.
Gênero: Poesia
Formato: 14,5×9 cm
Preço: R$ 20,00
Informações para a imprensa, encomendas, entrevistas com o autor: faleaquarela@gmail.com

Ontem, primeiro musicvideo da Van

Já está quase pronto o primeiro musicvideo (videoclipe) da cantora Van.
A música escolhida foi “Ontem”.

Foto: Merije
Foto: Merije

As filmagens foram feitas na Avenida Paulista e na Rua Augusta de forma bem descontraída, simulando um clima “noir” para um tema que fala de liberdade e libertação.

Produção: Aquarela Brasileira

Foto: Lelê Grossi
Foto: Lelê Grossi

Aquarela Brasileira e MVMob juntos

É uma parceria antiga e agora se torna oficial.
A Aquarela Brasileira administrará alguns serviços e cuidará da gestão de alguns projetos do MVMob – Minha Vida Mobile.
O MVMob é um projeto bem-sucedido, realizado em vários estados do Brasil, e essa parceria valoriza ainda mais o trabalho da Aquarela Brasileira.

MVMOB_logo FINAL alta

CELULAR: “DE VILÃO A ALIADO”

O projeto Minha Vida Mobile – MVMob capacita estudantes e educadores para produção de conteúdos audiovisuais com celulares, bem como para o uso das TICs para integrar escolas e comunidades em projetos multimídias de construção e compartilhamento de conhecimento.
As atividades do MVMob geram exercícios de interpretação, síntese, categorização, criticidade, organização, relação grupal, autonomia, criatividade, num processo de articulação da alfabetização visual com os saberes da prática social dos educandos. E tudo isso de uma maneira mais prazerosa e envolvente para os estudantes, pois inclui um objeto que faz parte da sua cultura cotidiana e com o qual eles têm intimidade: o celular.

MobinhonaEscola

Construção Interativa de Conhecimento
O MVMob realiza oficinas práticas de produção de vídeos, fotos, áudios e notícias com o celular, produz tutoriais e materiais de subsídio pedagógico, organiza mostras itinerantes de trabalhos criados por estudantes e educadores e premia os participantes mais destacados.
Além disso, disponibiliza um portal em forma de rede de aprendizagem interativa e intercâmbio cultural aberto e gratuito, acessível no endereço www.mvmob.com.br Trata-se de ambiente de aprendizagem online (em expansão), com conteúdos educativos e que pode ser acessado pelo celular ou do computador, de qualquer lugar, a qualquer hora, para aprender, ensinar, compartilhar e conhecer experiências de participantes de várias partes do país.

Ligando o Mobinho_250211

Inclusão criativa e democratização do acesso
O MVMob trabalha com metodologias, linguagens e conteúdos para estudantes e educadores de realidades diversas. O público participante, inicialmente, era formado por estudantes e educadores do ensino médio. Contudo, no desenvolvimento do projeto, foram surgindo oportunidades para trabalhar com outros públicos. Assim, os horários, a linguagem e a metodologia foram flexibilizados para garantir a participação dessa diversidade.
Dessa forma, passamos a trabalhar com os seguintes públicos: Educação de Jovens e Adultos (EJA), LGBTTS, terceira idade, universitários, trabalhadores de museus e participantes de festivais de cinema.

18052010445

Para viabilizar a participação gratuita e aberta, o projeto conta com o incentivo das leis de incentivo à cultura e de parcerias com a iniciativa privada e o governo.
O MVMob – Minha Vida Mobile foi criado em 2005 em Minas Gerais para oferecer subsídios teóricos e práticos para que educadores e estudantes incorporassem o uso das linguagens midiáticas no cotidiano da escola, como ferramentas de complementação ao processo de ensino-aprendizagem.
De 2008 a 2012 o MVMob contou com patrocínio da operadora de celulares VIVO, através das Leis de Incentivo à Cultura estaduais. A partir daí o projeto começou a ser ampliado e levado para vários estados, como São Paulo, Bahia, Pernambuco, Pará, Goiás, Rio Grande do Sul, Ceará, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Tocantins, Mato Grosso, entre outros.

Com a seriedade da proposta de trabalho e ações efetivas, o projeto foi reconhecido em 2011 como “Inovação Educativa” pela Fundação Telefônica, em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento e a Inovação Educativa da OEI (Organização dos Estados IberoAmericanos).

GaleraMVMobnoRedeLab_250220112281

LINKS
www.mvmob.com.br

MVMob na GloboNews: www.mvmob.com.br/trabalho#!mvmob-na-globonews-programa-navegador

Mini-doc sobre a história do MVMob: www.mvmob.com.br/trabalho#!doc-mvmob-instrumento-de-transformacao-social-its

Livro “Mobimento – Educação e Comunicação Mobile”:
www.mvmob.com.br/noticias#!mobimento-educacao-e-comunicacao-mobile

MobinhoRodrigoeRaul_240220112259


PEQUENO RAIO X DO MINHA VIDA MOBILE

Prêmio “Inovação Educativa” pela Fundação Telefônica em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento e a Inovação Educativa da OEI (Organização dos Estados IberoAmericanos).

Mais de 1.500 escolas cadastradas participantes

Estados onde as atividades do projeto estão sendo desenvolvidas: Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Pernambuco, Goiás, Tocantins, Santa Catarina, Mato Grosso, Ceará, Pará, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, entre outros

As oficinas e outras atividades do MVMob já foram realizadas em cerca de 150 municípios do país

Cerca de seis milhões de pessoas atingidas pelas ações e repercussão na mídia

Mais de 150 oficinas gratuitas ministradas

Mais de 7.000 pessoas capacitadas (estudantes, educadores, atores, profissionais de artes cênicas, profissionais de museus, pais de alunos e agente multiplicadores)

Mais de 6.000 participantes inscritos (de todo o Brasil) no portal, na rede de aprendizagem interativa e intercâmbio cultural www.mvmob.com.br

Mais de 4.000 vídeos, 5.000 fotos e 500 peças de áudio produzidas pelos participantes

Mais de dois milhões e meio de reais em retorno de mídia espontânea – nacional

ALGUNS RESULTADOS ALCANÇADOS

Novos olhares para o papel das TICs na educação a partir da experiência do uso dos dispositivos na construção e expressão de saberes, em diferentes linguagens. Contrapondo a prática de receptor passivo de informações das mídias.

Ruptura do paradigma de quê o professor deve ser o detentor do saber e não pode contar com os saberes prévios e técnicos dos seus alunos na construção colaborativa do conhecimento.

Experiências efetivas da Educação em direitos humanos inserida no currículo escolar: trabalhos sobre sexualidade, diversidade étnicorracial, gênero, educação socioambiental, violências, direito à educação, dentre outros.

Experiências da força expressiva e criativa de educadores e educandos, que colaboram para a ação transformadora

Metodologias, linguagens e conteúdos para estudantes e educadores de realidades diversas: estudantes e educadores do ensino médio, Educação de Jovens e Adultos (EJA), LGBTTS, terceira idade, universitários, trabalhadores de museus e participantes de festivais de cinema.

PRINCIPAIS PRODUÇÕES

•Materiais de subsídio pedagógico produzidos e distribuídos nos espaços de formação e disponibilizados para download no portal;

• 6 DVDs (MG, BA, SP) que reúnem Mostras Culturais das produções realizadas;

•Portal de educação e cultura do Brasil, disponível para consulta, socialização e intercâmbio de trabalhos de diferentes temas e linguagens.

•Livro Mobimento: Educação e Comunicação Mobile, de Wagner Merije . São Paulo: Peirópolis, 2012 – Finalista do Prêmio Jabuti 2013 na categoria Educação

•3 Manuais e Guias, 3 edições da Revista Universo Pictórico