Arquivo da tag: poesia

Coleção Portugal em Prosa e Verso

Uma coleção de novos autores e grandes nomes da literatura e das letras de Portugal em edições especiais e muito bem cuidadas, pensadas para novos leitores e todos aqueles que reconhecem a valorosa criação portuguesa.

Coleção Livros Portugal_Aquarela

 

Poesia

31 Poemas Selecionados – Fernando Pessoa

Sonetos – Luís Vaz de Camões

Clepsidra – Camilo Pessanha

Breve – João José Cochofel

 

Narrativas em Prosa

Peregrinação Crioula – Paulo Branco Lima

Origem & Ruína – Paulo Branco Lima

Os Segundos Nomes – Anthony Clown

 

Vários Autores

Coimbra em Palavras

Coimbra em Imagens

 

Aquarela Brasileira Livros

Livros são Incríveis! A gente ama!

Brasil – Portugal

www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros

www.facebook.com/aquarelabrasileira

Encomendas: faleaquarela@gmail.com

 

Clepsidra_100 anos

Um dos livros mais enigmáticos da poesia portuguesa, CLEPSIDRA, de Camilo Pessanha, completa 100 anos de sua publicação neste 2020.
Trata-se de um livro importante, de excelente poesia, que todos precisam ler.
Peça seu exemplar pelo e-mail faleaquarela@gmail, que enviamos para sua casa com todo carinho e cuidado.
Para saber mais da edição da Aquarela Brasileira Livros, acesse o link www.aquarelabrasileira.com.br/clepsidra_camilo-pessanha

Em comemoração a esta data tão importante, a Aquarela Brasileira Livros vai estar presente na homenagem preparada em Coimbra:

Tributo 100 anos_Clepsidra_301020_Café Santa Cruz_Coimbra

Eis um poema:

CAMINHO I

Tenho sonhos cruéis: n’alma doente
Sinto um vago receio prematuro.
Vou a medo na aresta do futuro,
Embebido em saudades do presente…
Saudades desta dor que em vão procuro
Do peito afugentar bem rudemente,
Devendo, ao desmaiar sobre o poente,
Cobrir-m’o coração dum véu escuro!…
Porque a dor, esta falta d’harmonia,
Toda a luz desgrenhada que alumia
As almas doidamente, o céu d’agora,
Sem ela o coração é quase nada:
— Um sol onde expirasse a madrugada,
Porque é só madrugada quando chora.

Apneia

Untitled-1

Apneia”, de Márcia Leão, novo título da Aquarela Brasileira Livros, revela a sensibilidade de uma voz poética feminina

 

Para Freud, o EU é construído na relação com o outro. É no mergulho no mar caudaloso do outro que eu teço minhas teias de identificação, repulsa, desejo, entrega ou distanciamento. Para ele, a própria pulsão instintiva que orienta o indivíduo para o amor é uma maneira de realização natural do ser ao encontrar compatibilidade no outro. Ao amar, desejamos ver no outro o reflexo do nosso amor e merecê-lo, por ser ele igual ou melhor do que nosso amor, um modo de amar mais perfeito que o nosso, nosso ideal, nosso próprio eu!

Encontrar o outro pressupõe, portanto, um rasgo de coragem justamente porque no caminho estão aqueles sentimentos todos que vão sendo recolhidos ao longo da trajetória e que, somados, gritam em nosso interior: esse que lhe sorri, dá as costas, abraça, conversa, emudece, aponta, olha ou desvia o olhar, tece intrigas ou se revela inteiro, esse que lhe seduz ou apavora, lhe faz suspirar ou perder o fôlego… na verdade tem muito de você, revelado nesse espelho de carne, vísceras, paixão e espanto!

Márcia Leão, esta menina pós-cinquenta, pode ter morrido de medo do percurso. Mas entre apneias, insônias, madrugadas e cálices de vinho, conseguiu revelar estes encontros. Seu texto é esse pé na porta de quem ficou por muito tempo com o quarto sob segredo, as gavetas arrumadas, as cortinas cerradas, mas com uma latência que gritava por revirar tudo e se apresentar. Lá dentro, em alguns momentos lânguida de sedução, em outros raivosa de repulsa pelo acanhamento daqueles que teimam em não serem inteiros, a leoa postou-se inteira, entregue, pronta para quem a quisesse ler, sentir, tocar.

Cada linha aqui revelada trata de encontros. O encontro da mulher com o amor, com a paixão, com o carinho, com os cheiros do tesão impregnados na parede. Não há nenhum falso pudor em assumir-se um caldeirão de antagonismos, paradoxos, antíteses, incoerências. Nestes traçados poéticos, há o cheiro da campina, o odor suave das crianças que correm pela sala, o aroma tépido das recordações que descem as escadas do sótão para se materializarem sob o olhar da mãe amorosa ou da filha saudosa. Mas há, também, e muito, o ar impregnado da volúpia do desejo, da carne, do verbo que quer se fazer explosão de confissão.

Há uma provocação explícita desde o título. Apneia é aquilo que normalmente aquele que possui não vê, mas sente no corpo as dores e as angústias de ter no peito. Apneia tira o sono, impõe vigília – a do que respira e a daqueles que tentam dormir, em volta. É angustiante, exaustiva, e muitas vezes o sentimento é de querer livrar-se, “curar-se”. Márcia entrega-se, inteira, nestes versos e prosas. Mas isso tem um preço. A cumplicidade de quem a ver, revelada, desperta sobressaltos, vigília.

Este livro é, antes de tudo, esta catarse libertadora por parte de sua autora. Catarse, em seu sentimento aristotélico mais genuíno: pela emoção arrebatadora, uma purificação de almas. A mulher, mãe, amante, filha, amiga está lhe entregando um convite: vem perder o fôlego comigo!

Segundo Ney Mourão aponta no prefácio, “Se você aceitar o convite, irá fundo, tão fundo a ponto de também perder o ar, como ela expressa logo no primeiro poema. Mas será que viver a vida inteira sem estas apneias reveladoras vale a pena, de fato? Poema guardado na gaveta, ela nos diz, é coisa triste de se ver, sem asas, sem jornada, sem acenos para janelas que ficam. Gente sem suspiros, sem engasgos, sem noites perdidas de sono porque o amor não veio ou se foi, esta mulher alada, feita de sonhos, não quer mesmo por perto. Márcia quer mesmo é encontro de singularidades, pé na porta e segredos esparramados sobre a colcha como presentes em dia de aniversário.”

É muito bom que haja autoras corajosas, que se entregam em poesia, prosa, em tempos tão sombrios. Tempos onde encontrar e encontrar-se é algo tão frágil quanto minutos de sono sob apneias em uma noite de insônia. É bom que Márcia Leão, ao descobrir-se, também tenha tido a generosidade e bondade de se revelar. Ousadia e coragem de quem não tem medo de ser chamada de louca, sonhadora, inconsequente. De quem escreve, sem meias-palavras, que está e sempre estará em outro rebanho.

O poeta Chico, brasileiro, homem, que tão bem desvendou a alma feminina, um dia desejou não dormir, até que se consumasse um tempo dele e da amante, e dizia de um tempo de delicadezas, de silêncios, e de encantamentos que só a eternidade pode trazer. Se você mergulhar, de fato, neste encontro que Márcia aqui propõe, talvez consiga viver um momento semelhante à letra desta canção.

Na opinião de Roberto de Freitas, “A escrita poética de Márcia é sentida! É daquelas que quando escreve deixa sulcos nas folhas de trás. É assim porque vem carregada de vida e de experiências. E, ao mesmo tempo, é leve como quem já viveu e sabe no corpo o seu fim. É alegre e também triste, como aquele olhar brilhando que acompanha o horizonte até se pôr.Vejo aí Márcia Menina e Márcia Mulher, brincando de se esconder uma dentro da outra. E viva essa poesia feminina e afetuosa como quem carrega no colo as palavras mais lindas!!!”

Prepare-se que Apneia é isto: onde a respiração para e volta diversas vezes.” Vai lá! Perca o sono por hoje. Perca o fôlego. Mas encontre lirismo para manter a alma desperta, que disso qualquer ser que respira quer mais é se afogar, com vontade!

 

SOBRE A AUTORA
Márcia Leão é poeta e assistente social, nascida em Belo Horizonte, Minas Gerais. Sempre gostou de escrever, mas, só agora, aos sessenta anos, criou coragem de mostrar seus textos, tirar a roupaem público. Quando escreve, é como se estivesse conversando com seu confidente. Mostra-me inteira. Talvez por isso a hesitação de tornar público. Nesta obra coloca suas verdades, seus sonhos, seus devaneios… Esses poemas falam do vivido, do sonhado, do esperado. O sonho hoje é que encontrem eco na poesia que mora em cada um.É que despertem outros sonhadores permitindo-lhes belos voos.

DADOS DO LIVRO
Título: Apneia
Autor: Márcia Leão
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Poesia
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 148
ISBN: 978-65-86867-02-2
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/apneia
Encomendas: marcialeao@ymail.com
 

 Aquarela Brasileira Livros
Livros são Incríveis! A gente ama!
www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros
www.facebook.com/aquarelabrasileira
faleaquarela@gmail.com

Propostas Novas para Novos Mundos

Capa_Coverpage_PROPOSTAS novas para novos mundos

Uma publicação potente, com textos e imagens de enorme qualidade, variedade de estilos e relevância dos conteúdos, que entrará para a história como um importante documento de reflexão

Propostas Novas para Novos Mundos trata-se de um projeto coletivo de intervenção literária e artística surgido durante a pandemia, nos primeiros meses de 2020, constituído por várias pessoas que atravessaram momentos assustadores, angustiantes e de profunda incerteza perante as contrariedades da Covid-19.

O e-book resultante das respectivas propostas, advindas de autores de vários continentes,  encontra-se disponível para o público geral através de download gratuito.

Participam nesta coletânea Alejandra Coz Rosenfeld, Ana Cláudia Henriques, Andreia Azevedo Moreira, Carlos Nuno Granja, Carlos Seabra, Dennis de Oliveira, Eliane Testa, Fiamma Viola, Franco Barbato, Gian Luca Masciangelo, Graziela Andrade, João Morales, Julie-Cerise Gay, Marcia Langfeldt, Marcos Silva, Melina Sarnaglia, Mirian Ringel, Paulo Branco Lima, Peilin Yu, Pilar Colás, Pires Laranjeira, Rômulo Garcias, Virna Teixeira e Wagner Merije.

São pensadoras e pensadores de países como Brasil, Chile, China, Equador, França, Inglaterra, Israel, Itália, Noruega e Portugal, atuantes em várias áreas do conhecimento e da sociedade, engajados em diversos projetos e iniciativas.

Entre os temas abordados incluem-se a falta de clareza quanto aos rumos da sociedade, o afeto, a maternidade, a família, a educação, a arte, a justiça e a injustiça, o racismo, a violência, a economia, a ecologia e muito mais. Em resumo, este livro eletrónico tenta fornecer pistas de reflexão às questões mais pertinentes da conjuntura atual: Em que acreditamos? Como agimos? O que podemos fazer que não fizemos?

De acordo com Wagner Merije, organizador e coordenador editorial da iniciativa, “tudo o que tínhamos pela frente era incerteza. Na verdade, mais do que nunca, agora temos uma certeza: que a natureza é brutal e pode promover a nossa extinção com facilidade. No fundo, somos todos indivíduos frágeis. Sem uma determinada organização e elevado instinto de justiça e solidariedade, muitas vidas serão perdidas. Ao mesmo tempo, somos seres plurais, o universo (multiverso) é composto de muitas vidas, e só o respeito mútuo permitirá a comunhão dessas vidas no Planeta Terra.”

Nas 212 páginas a potência da publicação se manifesta em textos diversos, como ensaios, artigos científicos, crônicas, contos, poemas, além de fotografias, colagens, ilustrações, artes plásticas e visuais.

Nas palavras de Paulo Branco Lima, escritor e editor adjunto do projeto, “muitos de nós atravessámos o período de confinamento a observar e a refletir sobre o mundo e a vida. Parados em casa por dias e dias (quem pôde, enfim), fomos perdendo a noção de tempo e passámos a mensurar o valor das amizades, das companhias, da simplicidade, ao invés de contar quantas roupas ou sapatos, quantos carros ou privilégios que o dinheiro pode comprar – coisas e posses que, em determinadas situações, perdem o sentido.”

Como documento deste tempo, trata-se de um trabalho com profundidade e seriedade para servir de reflexão para a posteridade, seja ela qual for.

Eis um convite para ler, ver e refletir sobre essas páginas e partilhar destas visões de vidas e dos mundos, eis aqui alguns pontos de vista em busca de olhares mais coletivos.

Compartilhar conhecimento

Como é do conhecimento de todos, os vários agentes culturais estão a trabalhar para que os seus públicos,  que atravessaram períodos de isolamento e ainda estão sob tensão, não sejam privados de acesso e contato com o conhecimento e a prática das artes. Interessa-nos que a reflexão seja um instrumento para as mudanças necessárias.

Atentos a isto, a Aquarela Brasileira Livros e as autoras e autores de Propostas novas para novos mundo oferecem o download gratuito aqui: Propostas novas para novos mundos_Final

Ajude a divulgar este projeto entre seus amigos e rede de contatos.
Partilhe!
Que o conhecimento circule livre e acessível para todos.

DADOS DO E-BOOK
Título: Propostas novas para novos mundos
Autores: 24
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Número de páginas: 212
ISBN: 978-65-86867-05-3
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/propostas-novas-para-novos-mundos

 

Aquarela Brasileira Livros

Livros são Incríveis! A gente ama!

www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros

www.facebook.com/aquarelabrasileira

faleaquarela@gmail.com

Os Segundos Nomes

Capa_Os segundos nomes

Os segundos nomes, novo título da Aquarela Brasileira Livros que chega ao mercado de Portugal, é um romance surpreendente em todo e cada detalhe, elaborado com invenção por um escritor com vozes próprias

Prepare-se para conhecer uma figura ímpar: Toni é crítico d’Artes, mas não um crítico normal, dentro do sentido específico. Sua crítica é geral; tenta abranger todas as formas de Arte. Justifica esta ambição crendo na sua simplicidade; as suas palavras a este respeito defendem que “não é necessário saber a fundo algumas matérias quando se conseguem Sentir Fragmentos de todas elas…” Além disso, é essa ocupação que lhe financia os vícios e paga as contas, como a qualquer comum dos Iguais. Toni sente-se veramente um pedagogo artístico, porém a sua crítica não disfruta de grandes créditos. Os seus detractores dizem que o seu criticismo positivo é um processo anti-pedagógico. Toni Entende o Contrário.

Inventivo e original, Os segundos nomes notabiliza-se por Uma narrativa singular e anarca Que aborda a pluralidade dos sentidos. Os personagens desdobram-se Indefinidamente em heterónimos E sub-heterónimos, que por sua voz Derivam para vários pseudo-alter-egos Através duma ramificação infinita. Toni, o personagem essencial desta comédia romântica surreal É assolado por um Padrão de Sofrimentos Energias artísticas Que ciclicamente se transformam Num problema sentimental Cujos destinos se entrelaçam: As suas Musas, as suas Artes: As suas Ilusões.

Neste livro, cada palavra é pensada e valorizada. A escrita rica em alegorias revela um autor ousado e espiritualizado, que sabe que seu caminho na arte é se misturar às estrelas, como pontos de luz de múltiplas alcunhas. Chama a atenção também diversas imagens entre o texto, idealizadas em colaboração com o artista português Alexandre Esgaio e a ilustradora japonesa Mika. Na capa é reproduzida uma obra do artista gráfico português Pedro Góis.

Respire fundo e entre na história, que no teatro do mundo todos somos personagens e eternos aprendizes.

Esta edição, apresentada primeiramente no Brasil, contou com o apoio da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, do Ministério da Cultura de Portugal.

No Brasil, a reedição de Os Segundos Nomes já foi apresentada na cidade de São Paulo na Casa de Portugal, no bairro da Liberdade, no dia 10 de dezembro de 2019, com a presença do autor Hélder Grau Santos (PT), com intervenções de Wagner Merije (BR-PT), José Santos (BR), Carlos Seabra (PT), entre outros escritores, escritoras e convidados presentes; e também no projeto O Autor na Praça – Espaço Plínio Marcos, no bairro de Pinheiros, celebrando as literaturas de Portugal e Brasil, em 14 de Dezembro de 2019, com as intervenções de Hélder Grau Santos (PT), Wagner Merije (BR-PT), Edson Lima (BR), Paulo Rafael (BR), entre outros escritores, músicos e convidados presentes. Em 17 de Dezembro de 2019 teve lugar uma apresentação em Belo Horizonte, na Livraria do Belas, com presença do autor Hélder Grau Santos, intervenções de Ana Elisa Ribeiro (BR), Wagner Merije, Rômulo Garcias (BR), com participação especial do Cônsul de Portugal, Dr. Rui Almeida.

Em Portugal para breve serão anunciados datas de apresentações.

 

DADOS DO LIVRO
Título: Os Segundos Nomes
Autor: Anthony Clown
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Romance
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 218
ISBN: 978-85-92552-21-3
Depósito legal: 463192/19
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/os-segundos-nomes
Encomendas: faleaquarela@gmail.com

 

SOBRE O AUTOR

Foto: Wagner Merije
Foto: Wagner Merije

 

Anthony Clown não existe, literalmente, mas coexiste com os sonhos e com alguns subentendimentos. Hélder Santos, criador deste e outros heterónimos, como Grau, Poeta G, O Urso e Asa de Borboleta, é escritor, poeta, músico e professor, nascido em Coimbra, Portugal. Autor dos livros de poesia Aparato Nulo (edição de Autor, 1998), Agora que chegaste, volume 1 (Edições Caixa de Sapatos, 2003), Agora que chegaste, volume 2 (Edições Caixa de Sapatos, 2004), Outra Distância (Edição Baú dos Sonhos, 2008); participação na antologia Coimbra em Palavras (Aquarela Brasileira Livros, 2018). Autor e co-autor dos textos para teatro: A Louquíssima Trindade (2002), L’Énfant Possible (2005), Pedra Preciosa I e II (2010-2013), O Sótão (2017). Na área musical apresentou os seguintes álbuns The Grau – Mui Solo (coletânea 1995-2015. Edições Pirata), The Grau!!! – Co-Existências (Edições Pirataº, 1999-2005), The Grauº – 13 (Edições Theº, 2013).

 

Aquarela Brasileira Livros
Livros são Incríveis! A gente ama!

www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros
www.facebook.com/aquarelabrasileira

Clepsidra_Camilo Pessanha

Capa_Clepsidra_Camilo Pessanha

DADOS DO LIVRO
Título: Clepsidra
Autor: Camilo Pessanha
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Poesia
Formato: 13,5 x 17,5 cm
Número de páginas: 88
ISBN: 978-65-86867-01-5
Depósito legal: 470741/20
Web: : www.aquarelabrasileira.com.br/clepsidra_camilo-pessanha
Encomendas: : faleaquarela@gmail.com

Edição apoiada pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (Ministério da Cultura de Portugal)

Sonetos_Luís Vaz de Camões

 

Sonetos_Luís Vaz de Camões

DADOS DO LIVRO
Título: Sonetos
Autor: Luís Vaz de Camões
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Poesia
Formato: 13,5 x 17.5 cm
Número de páginas: 104
ISBN: 978-85-92552-17-6
Depósito legal: 460650/19
Web: www. aquarelabrasileira.com.br/sonetos_luis-vaz-de-camoes
Encomendas: faleaquarela@gmail.com

 

Edição apoiada pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (Ministério da Cultura de Portugal)

 

Psyché e Hamlet vão para Hodiohill

Psyché e Hamlet_capa3d

Psyché e Hamlet vão para Hodiohill, novo lançamento da Aquarela Brasileira Livros, é uma história de amor em meio ao caos

* Obra selecionada para o Prêmio Oceanos 2020

Psyché & Hamlet vão para Hodiohill conta a história de duas almas sensíveis, P & H, que se conhecem num aeroporto, pouco antes de embarcarem para Hodiohill. Como muitos de nós, P & H tinham feito suas escolhas, todos nós fazemos escolhas, o difícil é conviver com elas. Mas os dois não seriam capazes de prever o que os esperava. Tudo o que se pode dizer é que Hodiohill talvez tenha sido o maior paraíso e o maior inferno que já se teve notícia.

Psyché & Hamlet vão para Hodiohill é sobre seres suspensos, sem lugar para esconder a confusão de seus corações. É sobre um tempo e um lugar em decomposição. De um jeito ou de outro, as histórias de Hodiohill e das personagens que P & H vão encontrando pelo caminho estão entrelaçadas, em toda a sua glória, declínio e fascínio.

Esta é uma obra surpreendente que mistura memória, imaginação e crítica social com humor, amor e leveza em boas doses, um trabalho intelectual e literário que invoca saberes tão diferentes, mas complementares, como a política, a psicologia, a religião e a literatura.

Psyché & Hamlet vão para Hodiohill aborda e questiona, entre muitos temas, o caos social, a violência, o autoritarismo, o impacto do colonialismo nas mentes, a xenofobia, o machismo, o patriarcalismo e os padrões de relacionamentos afetivos. Um livro para perguntar de onde vem o nosso ódio, com uma mensagem de que precisamos cuidar de nós e combatê-lo, mesmo que isso soe paradoxal.

A universalidade das ideias, das ações e das palavras apresentadas serão tão mais universais quanto mais as fizermos ecoar e atuar no nosso mundo. Não basta dizer que a arte e, em particular, a literatura podem contribuir para a defesa da liberdade, da igualdade, dos direitos humanos e do meio ambiente. Os grandes problemas do nosso tempo, como já dizia Saramago, são também as grandes questões da (grande) literatura e da (grande) arte contemporâneas, que, de diferentes modos, se propõem (re)desenhar novos ou renovados paradigmas para o ser humano, dentro da (des)ordem da natureza e do ambiente.

Para o autor, citando Barthes, escrever é fazer-se o centro do processo de palavra, é efetuar a escritura afetando— se a si próprio, é fazer coincidir a ação e a afeição (…). O exercício da linguagem é uma forma de praticar o autoconhecimento e o alargamento do conhecimento do mundo.

Wagner Merije é autor de uma série de trabalhos diferentes e, ao mesmo tempo, em constante diálogo. Talvez esta seja uma palavra boa para descrever suas propostas literárias, artísticas e educativas: dialogar para compreender o outro, para reconstruir o mundo. Publicou os livros Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), Mexidinho (2017), Cidade em transe (2015), Viagem a Minas Gerais (2013), Torpedos (2012), Mobimento – Educação e Comunicação Mobile (2012) – finalista do Prêmio Jabuti 2013, e Turnê do Encantamento (2009); organizou, editou e prefaciou mais de duas dezenas de livros, entre os quais estão obras de Fernando Pessoa, Camões, Camilo Pessanha e João José Cochofel, e títulos como Coimbra em palavras (2018), Coimbra em imagens (2019), São Paulo em palavras (2016), São Paulo em imagens (2017), Trinta Anos-Luz – Poetas celebram 30 anos de Psiu Poético (2016) e Pelas periferias do Brasil vol. 6 (2016); escreveu canções e peças de teatro; dirigiu filmes; trabalhou para jornais, revistas, radios, TVs e sites. Nesse percurso, já apresentou trabalhos em diversos países e foi agraciado com alguns prêmios. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, autor de ensaios e artigos sobre literaturas de língua portuguesa, inglesa e grega. Psyché & Hamlet vão para Hodiohill é seu segundo romance.
Saiba mais em www.merije.com.br

DADOS DO LIVRO
Título: Psyché e Hamlet vão para Hodiohill
Autor: Wagner Merije
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Romance
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 164
ISBN: 978-85-92552-20-6
DL: 461950/19
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/psyche-e-hamlet-vao-para-hodiohill
Encomendas: faleaquarela@gmail.com

 

Nesta quarentena, faça o download do livro gratuitamente

Psyché e Hamlet_EBOOK

 

LANÇAMENTOS/APRESENTAÇÕES
LISBOA/PT – 23/11/19 – sábado – das 16h30 às 18h30 – Lugar Específico - Rua Actor Vale, nº 16 B

COIMBRA/PT – 26/11/19 – terça-feira – das 20h às 22h – Liquidâmbar – Praça da República nº 28 1º

PORTO/PT – 28/11/19 – quinta-feira – das 21h às 23h – Unicepe – Praça de Carlos Alberto, 128-A

SÃO PAULO/SP – 10/12/19 – terça-feira – das 19h às 21h – Casa de Portugal -Av. da Liberdade, 602 – Bairro da Liberdade

SÃO PAULO/SP – 14/12/19 – sábado – das 13h às 15h – O Autor na Praça – Espaço Plínio Marcos – Praça Benedito Calixto – Vila Madalena

BELO HORIZONTE/MG – 17/12/19 – terça-feira – das 19h às 21 – Livraria do Belas – Rua Gonçalves Dias, 1581 – Lourdes

BELO HORIZONTE/MG – 28/01/20 – terça-feira – das 19h às 21h – Asa de Papel Café & Arte - Rua Piauí, 631 – Santa Efigênia

SÃO PAULO/SP – 04/02/20 – terça-feira – das 19h às 21h – Patuscada Livraria, Bar & Café – Rua Luís Murat, 40 – Vila Madalena

*Programação sujeita a mudanças

 

Aquarela Brasileira Livros

Livros são Incríveis! A gente ama!

Brasil – Portugal

www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros

www.facebook.com/aquarelabrasileira

faleaquarela@gmail.com

31 poemas selecionados_Fernando Pessoa

31 poemas selecionados_Fernando Pessoa

DADOS DO LIVRO
Título: 31 Poemas selecionados
Autor: Fernando Pessoa
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Poesia
Formato: 13,5 x 17.5 cm
Número de páginas: 126
ISBN: 978-85-92552-16-9
Depósito legal: 460649/19
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/31-poemas-selecionados_fernando-pessoa
Encomendas: faleaquarela@gmail.com

Edição apoiada pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (Ministério da Cultura de Portugal)

 

 

Centenário de João José Cochofel

No ano que se comemora do centenário do poeta português João José Cochofel, a Aquarela Brasileira Livros convida professores/as, académicos/as, bibliotecários/as, estudantes e todos/as que gostam de poesia para conhecerem a antologia BREVE, organizada por Sofia Cochofel Quintela, neta do autor, com prefácio do poeta e crítico literário António Carlos Cortez.

João José Cochofel_arquivo familiar
João José Cochofel_arquivo familiar

João José Cochofel com sua poesia nos provoca um encanto crescente. Navegar nos seus versos nos causa uma deliciosa vertigem. Sua poesia é forte, delicada e profunda.

Este livro é um acontecimento literário por trazer aos leitores uma seleção de alta qualidade da lírica de um poeta português do mais alto nível, até então inédito no Brasil. Uma obra que nos toca a alma e que todos os apreciadores de boa poesia deviam ter na estante.

O poeta e escritor nasceu em Coimbra em 1919, no seio de uma família aristocrática e profundamente acolhedora de toda uma geração de escritores que vieram a integrar vários movimentos literários, dos quais se destaca o neo-realista. Sobre isto testemunhou o escritor e médico Fernando Namora: “… as tardes ou os serões em casa do Cochofel. Nessas tertúlias se atearam muitas das labaredas da minha geração”.

O facto é que, conforme escreve o crítico António Carlos Cortez no prefácio do livro, em ano de centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen e de Jorge de Sena, apresentar aos leitores, especialmente aos brasileiros, o melhor de um dos nomes cimeiros do neo-realismo português, é celebrar em grande estilo a memória e a obra de João José Cochofel.

Breve_João José Cochofel_capa finalSaiba mais sobre o livro aqui: www.aquarelabrasileira.com.br/breve

Em homenagem ao poeta, em 2019 e em 2020 estão previstos lançamentos e debates sobre sua obra em Portugal e no Brasil, onde é publicado pela primeira vez.

Acompanhe:

LISBOA – 23/11/19 – sábado – das 16h30 às 18h30

Lugar Específico - Rua Actor Vale, nº 16 B

 

COIMBRA – 26/11/19 – terça-feira – das 20h às 22h

Liquidâmbar – Praça da República nº 28 1º

 

PORTO – 28/11/19 – quinta-feira – das 21h às 23h

Unicepe – Praça de Carlos Alberto, 128-A

 

SÃO PAULO/SP – 10/12/19 – terça-feira – das 19h às 21h

Casa de Portugal – Av. da Liberdade, 602 – Bairro da Liberdade

 

SÃO PAULO/SP – 14/12/19 – sábado – das 13h às 15h

O Autor na Praça – Espaço Plínio Marcos -Feira de Artes da Praça Benedito Calixto – Vila Madalena

 

BELO HORIZONTE/MG – 17/12/19 – terça-feira – das 19h às 21h

Livraria do Belas – Rua Gonçalves Dias, 1581 – Lourdes

 

BELO HORIZONTE/MG – 28/01/20 – terça-feira – das 19h às 21h

Asa de Papel Café & Arte- Rua Piauí, 631 – Santa Efigênia

 

SÃO PAULO/SP – 04/02/20 – terça-feira – das 19h às 21h

Patuscada Livraria, Bar & Café – Rua Luís Murat, 40 – Vila Madalena

 

                                                                                  *Programação sujeita a mudanças

 

 

Aquarela Brasileira Livros

Livros são Incríveis! A gente ama!

Brasil – Portugal

www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros

www.facebook.com/aquarelabrasileira

faleaquarela@gmail.com