Arquivo da tag: semana cultural

Coimbra Música Conversas Júlio Martins Risko

Bem-vindos, bem-vindas ao Coimbra Música & Conversas, um encontro para falarmos sobre música, formação musical, apoio à cultura e sobrevivência artística em tempos de pandemia. Em meio às conversas vamos ter uns improvisos musicais com cada convidado ou convidada.

O convidado de hoje é Júlio Martins, também conhecido como Risko.
É rapper, integrante do coletivo Velha Capital, e tem dois discos no currículo. Está em fase de lançamento de seu novo álbum, intitulado “Palavra de risco”.

Nesta conversa descontraída e sincera, o cantor, compositor e produtor fala das dificuldades para alcançar a profissionalização, pondera sobre o espontâneo e o “comercial”, sobre a dor e o amor, destaca a importância de Coimbra no seu aprendizado e crescimento artístico e pessoal, entre outros assuntos.

Risko também cantas suas rimas cheias de ritmo enquanto narra histórias com pontos de vistas bastante interessantes.

O projeto Coimbra Música & Conversas é uma realização da Aquarela Brasileira Multimedia para o Ciclo Orphika 2020 da Universidade de Coimbra.

O mediador convidado para esta série é Wagner Merije, jornalista, poeta, escritor, editor, compositor, gestor cultural e doutorando na FLUC.

Acompanhe a série de conversas no link
www.aquarelabrasileira.com.br/coimbra-musica-conversas-serie

Apoiem os artistas! Cultura é segura!

Coimbra Música Conversas Miriam Jorge

Bem-vindos, bem-vindas ao Coimbra Música & Conversas, um encontro para falarmos sobre música, formação musical, apoio à cultura e sobrevivência artística em tempos de pandemia. Em meio às conversas, improvisos musicais com cada convidado ou convidada. Uma oportunidade de conhecer e valorizar os artistas da cidade, além de manifestar nosso apoio em tempos de pandemia a quem tanto contribui para que nossos dias tenham arte e mais cores.

A convidada de hoje é Miriam Jorge, cantora de voz cristalina, ex-integrante das Mondeguinas, advogada, praticante e facilitadora de Yoga, fundadora de várias associações e intérprete de canções de conexão espiritual junto ao grupo AMA Folk.

Nesta conversa com sorrisos e luz, Miriam conta sobre a importância da música na sua vida, da música como conexão e cura, como caminho de transformação, do seu envolvimento com a tuna acadêmica Mondeguinas e do potencial transformador do grupo, aborda a pesquisa de músicas tradicionais portuguesas e as viagens para as apresentações musicais.

Também fala de sua ligação profunda com a Yoga como caminho de vida, dos workshops que ministra, das mudanças com a pandemia, entre outros assuntos.

Nos improvisos, ela toca uma composição original e entoa mantras para ajudar-nos a respirar melhor e purificar nossos corações. Como ela própria diz, “tudo é vibração!”

Uma conversa transformadora e cheia de mensagens de amor.

O projeto Coimbra Música & Conversas é uma realização da Aquarela Brasileira Multimedia para o Ciclo Orphika 2020 da Universidade de Coimbra.

O mediador convidado para esta série é Wagner Merije, doutorando na FLUC, jornalista, poeta, escritor, editor, compositor, gestor cultural e criador multimedia.

Acompanhe a série de conversas no link
www.aquarelabrasileira.com.br/coimbra-musica-conversas-serie

Apoiem os artistas! Cultura é segura!

O que as janelas da UC mostram

Mostra fotográfica que convida o público a olhar para fora, a olhar pelas janelas da UC e ver o que o outro lado tem para nos contar

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_promo 1

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_promo 2

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_promo 3

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_promo 4

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_promo 5

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_promo 6

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_promo 7

O QUE AS JANELAS DA UC MOSTRAM_ promo 8

 

«A arte é tudo – tudo o resto é nada. Só um livro é capaz de fazer a eternidade de um povo. Leónidas e Péricles não bastariam para que a velha Grécia ainda vivesse, nova e radiosa, nos nossos espíritos: foi-lhe preciso ter Aristófanes e Ésquilo. Tudo é efémero e oco nas sociedades – sobretudo o que nelas mais nos deslumbra. Podes-me tu dizer quem foram, no tempo de Shakespeare, os grandes banqueiros e as formosas mulheres? Onde estão os sacos de ouro deles e o rolar do seu luxo? Onde estão os olhos claros delas? Onde estão as rosas de York que floriram então? Mas Shakespeare está realmente tão vivo como quando, no estreito tablado do Globe, ele dependurava a lanterna que devia ser a Lua, triste e amorosamente invocada, alumiando o jardim dos Capuletos. Está vivo de uma vida melhor, porque o seu espírito fulge com um sereno e contínuo esplendor, sem que o perturbem mais as humilhantes misérias da carne!

Só a arte realmente pode dizer aos seus eleitos com firmeza e certeza: tu não morrerás inteiramente.»

Eça de Queirós in Prefácio a «Azulejos», poemas do Conde de Arnoso, 1896

 

Estas e outras imagens podem ser vistas de 04 a 15 de março de 2020, de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h, no Átrio do Teatro Paulo Quintela, situado na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Largo da Porta Férrea | 3004-530 COIMBRA • PORTUGAL

Esta exposição é apoiada pela Universidade de Coimbra e faz parte da programação da 22ª Semana Cultural da UC no ano que a Universidade de Coimbra celebra 730 anos de sua criação.

Produção/Production: Aquarela Brasileira
Contatos/Contacts: faleaquarela@gmail.com