Diálogos sobre Literatura em Aveiro

Aveiro, a Veneza portuguesa, é o palco de um programa sobre literatura em Portugal e no Brasil, com participação de poetas, editores, cantautores e performers, bem como de lançamentos de livros.

O ciclo de conversas “Diálogos sobre Literatura” promovido pelas chancelas Cadornel Edições e Aquarela Brasileira, conta com a seguinte programação:

Apresentação dos livros “Fenómeno: metáforas – sensações” de Paulo Branco Lima; “Sol do novo mundo – fatos e curiosidades sobre a Independência do Brasil e outras guerras e revoluções que impactaram o mundo”, de Wagner Merije; “O livro das canções”, de Pirata Grau & Friends, entre outros.

O evento será apresentado por Joana Neves e José Manuel Macedo, contará com as presenças do autor Paulo Branco Lima, dos editores Wagner Merije e Miguel Pais Pinto, do cantautor Hélder “Grau” Santos e de vários declamadores como Jorge Neves do Grupo Poético de Aveiro, Ivo Prata, Eduardo D’Orey e Mohsen Rostami, entre outros convidados.

 

IMG-20230314-WA0003

25 MAR 2023 – 17h00

Público em geral – Gratuito

 

ATLAS Aveiro – Biblioteca Municipal

biblioteca@cm-aveiro.pt | Telf. 234 386 158

Pirata Grau & Friends no Carnaval

Pirata Grau & Friends_promo

 

Pirata Grau & Friends no Carnaval do Centro Cultural Penedo da Saudade, em Coimbra

Pirata Grau & Friends é um projecto artístico multidisciplinar direcionado ao público infantil e que transmite uma mensagem Ecológica, Pedagógica e Social.

Depois de uma longa estrada a tocar para miúdos de todo o país, o grupo lançou o material multimedia”Livro das Canções”, com imagens, músicas, poesias e dicas ecológicas.

Nesta data especial, os miúdos e toda a família estão convidados a vestirem seus disfarces e fatos de carnaval e se divertirem com as músicas, as histórias, as danças e outras surpresas.

Terça-feira de Carnaval, 21/02/2023, a partir das 15:30

Centro Cultural Penedo da Saudade 

Coimbra – Portugal

 

Pirata Grau & Friends_promo2

Como Saramago já dizia

Como Saramago já dizia_cartaz final

 

“Como Saramago já dizia” é um espetáculo em homenagem ao ao Prémio Nobel de Literatura, no mês e ano de seu centenário. Alia música de géneros híbridos a trechos de várias obras do autor e textos inéditos numa perspectiva crítica e lúdica para falar da humanidade e da alma dos homens e mulheres desse mundo.

Com Wagner Merije e Gonçalo Parreirão

 

 

Aquarela Brasileira

Brasil – Portugal

www.aquarelabrasileira.com.br
www.facebook.com/aquarelabrasileira
www.instagram.com/aquarelabrasileiramultimedia
faleaquarela@gmail.com

Escola de riso_Pirata Grau & Friends

Autor: Pirata Grau & Friends
Tema: Escola de Riso
Album: O Livro das Canções
Ano: 2021

Letra:

Era um miúdo introvertido
E minha mãe “meteu” comigo
Numa Escola de Riso
Para aprender a ter juízo

A Professora era boa
Mas cheirava a meloa
Pegou-me na minha orelha
E ela ficou vermelha

Refrão:
AAAA-EEEE-IIIII-OOOO-UUUU

Na aula de matemática
Aprendi a fazer contas
A “stora” era simpática
Parecia a Pocahontas

Eu fui aluno aplicado
E até foi com agrado
Que passei p’ra professor
Com um sorriso encantador

Refrão:
AAAA-EEEE-IIIII-OOOO-UUUU

Pirata Grau & Friends é um projeto artístico multidisciplinar vocacionado para o público infantil, que transmite uma mensagem Ecológica, Pedagógica e Cultural. Depois de uma longa estrada a tocar para crianças de Portugal, é chegada a hora do lançamento do “O Livro das Canções”. Trata-se de um espetáculo musical criado a partir do livro e álbum do mesmo nome, que conta histórias, com músicas, pinturas, vídeos, teatro, dança, yoga e outras surpresas. Além da banda, formada por guitarra acústica, guitarra eléctrica, viola-baixo, percussão, flauta, e vozes femininas e masculinas, a apresentação conta com a participação especial de atores, bailarinos, ilustrador(es) ao vivo e outros instrumentos musicais (acordeão, xilofone, bandolim).

Conheça “O livro das canções”  em www.aquarelabrasileira.com.br/pirata-grau-friends-o-livro-das-cancoes

Produção Musical: JP Blarmino
Percussão: Paulo Santos
Flauta de Bisel: Jorge Frota
Xilofone: Pedro Calhau
Viola Baixo, voz: JP Blarmino
Voz feminina: Miriam Jorge
Guitarra 1: Vasco Otero
Guitarra 2: Rodrigo Martins
Guitarra 3: J. Miguel Pais
Acordeão: Dulce Cruz
Coros: JP Blarmino; Dulce Cruz; Vasco Otero; Miriam Jorge; Hélder Santos
Técnico de Som: José Duarte
Estúdio: Isound Studio

Ilustrações: Laís Coutinho Fonseca
Design: Rómulo Garcia
Coordenação Editorial: Wagner Merije

Animação Pirata: Associação Episódio (Nuno Marques, Susana Ribeiro e Cláudio Monteiro)

Videoclip Oficial
Realização e Edição: Elisabeth Gomes
Câmeras/Recolha de Imagens: Paulo Fajardo, Wagner Merije, Leonor e Tatiana
Participação especial: Dora Merije

SALOMÉ + O VENCEDOR DO TEMPO_FERNANDO PESSOA

AQUARELA BRASILEIRA Livros orgulhosamente apresenta

Salomé+O Vencedor do Tempo_Fernando Pessoa_capa promo

Nesta obra você vai encontrar dois textos de Fernando Pessoa pouco conhecidos, mas absolutamente fortes e que demonstram toda a genialidade do escritor que ele foi e é.

Teatro e Filosofia também foram campos explorados pelo genial poeta dos heterônimos. E eis aqui uma mostra de sua capacidade criativa.

Os gatos roçam-se contra as minhas pernas e sentem-se tigres até ao sexo. As aves cantantes calam-se quando passo, e as rosas altas roçam pela minha face porque eu tenho o privilégio dos caminhos.” (trecho de Salomé)

Cada um de nós é Deus sendo ele, é Deus pensando-se ele. Como, por isso, cada um de nós é Deus, cada um de nós vê a verdade, tem a verdade em si. Mas como cada um de nós, é, por pensamento de Deus não-Deus, não-ser, é erro. Pensamo-nos como Deus.” (trecho de O Vencedor do Tempo)

Este projeto da Aquarela Brasileira Livros, que conta com apoio da DGLAB – Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas / Ministério da Cultura de Portugal, tem como objetivo criar pontes com a boa literatura feita em Portugal. Para isso criamos a Coleção Portugal em Prosa e Verso, da qual fazem parte obras de Fernando Pessoa, Luís Vaz de Camões, Antero de Quental, Camilo Pessanha, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Castelo Branco, Pêro Vaz de Caminha, João José Cochofel, entre outros.

SOBRE O AUTOR

Fernando Pessoa (Lisboa, 13/06/1888 – Lisboa, 30/11/1935) é um dos mais importantes nomes da poesia em língua portuguesa e figura central do Modernismo português. Respeitado em Lisboa como intelectual e como poeta, o seu gênio literário só foi plenamente reconhecido após a sua morte. Escreveu sob diversos heterônimos, como Ricardo Reis, Álvaro de Campos, Alberto Caeiro, Bernardo Soares, entre outros.

O crítico literário Harold Bloom considerou Pessoa como o “Whitman renascido”, e o incluiu no seu cânone entre os 26 melhores escritores da civilização ocidental, não apenas da literatura portuguesa, mas também da inglesa.

Quando morreu, seus familiares encontraram um baú onde Pessoa guardava tudo que foi escrevendo ao longo da vida. O conteúdo dessa arca já catalogado é formado por mais de 25 mil textos, entre poemas, peças de teatro, contos, filosofia, traduções, cartas, escritas à mão ou dactilografados, em português, inglês e francês.

Transcorridos mais de 80 anos após sua morte, entretanto, muito de seu mirabolante acervo ainda carece de ser estudado e publicado.

O Vencedor do Tempo é assinado por Pêro Botelho, personalidade literária de Fernando Pessoa, cuja assinatura surge num caderno de 1915. Foi-lhe destinada a autoria de Cartas de Pêro Botelho e de Contos de Pêro Botelho. Se o primeiro projeto não parece ter tido desenvolvimento, no Segundo surgem incluídos vários títulos, ao título do conto se seguindo, no projeto, o nome da sua personagem principal: “O Vencedor do Tempo” (Prof. Serzedas), “A Morte do Dr. Cerdeira” (Dr. Cerdeira), “A Experiência do Dr. Lacroix” (Dr. Lacroix), “O Prior de Buarcos” (Pe. João José Maria), “Quaresma, Decifrador” (Dr. Abílio Quaresma), “O Eremita da Serra Negra” (O Eremita), “No Hotel Cecil, em Dia de Chuva” (O pessimista), “Uma Tarde Cristã” (O jesuíta Eusébio Vareiro) e “O Profeta da Rua da Glória” (O judeu Salomão Barjara).

Quaresma, Decifrador” irá tornar-se o título geral do grande conjunto das novelas policiais em português, sem atribuição. Outros destes contos surgiram anteriormente em Contos de um Doido, título geral de um projeto atribuído a Vicente Guedes e destinado a publicação pela Empresa Íbis, datável de 1909-1910. É o caso de “A Morte do Dr. Cerdeira”, “A Experiência do Dr. Lacroix” e “Uma Viagem no Tempo”, variante provável de “O Vencedor do Tempo”.

O conto “O Prior de Buarcos” foi também atribuído a Bernardo Soares. Quase todos os

contos da lista de Pêro Botelho voltam a surgir, sem atribuição, no grande conjunto que tem o título de Contos Intelectuais. De todos os Contos de Pêro Botelho, O Vencedor do Tempo é aquele que apresenta maior desenvolvimento, não tendo, no entanto, sido completado.

DADOS DO LIVRO

Título: Salomé + O Vencedor do Tempo

Autor: Fernando Pessoa

Editora: Aquarela Brasileira Livros

Gênero: Poesia

Formato: 9,5 x 14,5 cm

Número de páginas: 76

ISBN: 978-65-86867-18-3

DL: 508889/22

Web: www.aquarelabrasileira.com.br/salome-o-vencedor-do-tempo_fernando-pessoa

Encomendas/Pedidos: faleaquarela@gmail.com

Aquarela Brasileira Livros

Brasil – Portugal
www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros
www.facebook.com/aquarelabrasileira

www.instagram.com/aquarelabrasileiramultimedia

www.tiktok.com/@aquarelabrasileira_abm
faleaquarela@gmail.com

VAMOS CONVERSAR COM LUIS TURIBA

Feed_Vamos Conversar_Luis Turiba

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

 No dia 08 de dezembro de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.

O convidado de dezembro é Luis Turiba, poeta, editor e jornalista.

O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação.

Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, António Carlos Cortez, Raquel Ochoa, Joana Bértholo, Maria João Cantinho, Elisa Lucinda, Alice Ruiz, Rosa Oliveira, Minês Castanheira, Carlos Nuno Granja, Ana Ventura, Aurelino Costa, Carlos Seabra, Vicente Paulino, Celso Borges e Andreia Azevedo Moreira.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Cultura e Bric a Bracs: Uma conversa com Luis Turiba

Dia: 08 dezembro de 2022 – Quinta-feira – Hora: 18:00 (Hora de Lisboa) – 15:00 (Hora de Brasília)

Com transmissão em direto para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade: www.facebook.com/centroculturalpenedosaudade

Pode participar no Zoom através do link http://bit.ly/3ENICrV o ID da reunião 956 4447 3185 e Senha de acesso 845403

Sobre o convidado
Luis Turiba é pernambucano, cresceu no Rio de Janeiro e  morou por 32 anos em Brasília, onde trabalhou em diversos órgãos de imprensa como jornalista (Gazeta Mercantil, Jornal do Brasil, Jornal de Brasília, Correio Braziliense).
Tem a idade do Estádio do Maracanã, inaugurado em 1950.
Foi assessor de Imprensa do cantor e compositor Gilberto Gil, quando este assumiu o Ministério da Cultura do Brasil, de 2002 a 2005.
Foi editor da revista de poesia experimental BRIC-A-BRAC, publicada em Brasília de 1985 até 1992, contando com grandes entrevistas com os poetas Augusto de Campos, Manoel de Barros, Caetano Veloso, o sambista Palinho da Viola, o bibliófilo José Mindlin, o antropólogo francês Pierre Verger e outros. Em 2022, ano do bi-centenário da Independência do Brasil e dos 100 anos da Semana de Arte Moderna de São Paulo, a revista foi retomada em grande estilo.
Organizou o grupo e a coleção de livros OI POEMA com Nicolas Behr, Cristiane Sobral, Amneres, Bic Prado e Angélica Torres.
Publicou em 2014 pela Editora 7 Letras o livro “Qtais”. Depois mais dois livros: “Desacontecimentos”, em 2018, e minimax “Poeira Cósmica”, em 2017. Durante a quarentena da pandemia, editou artesanalmente o livreto “Se virem, Terráqueos”, com 48 páginas e 25 poemas, com capas únicas numeradas e assinadas feitas de papelão reciclado.
Tem participado de recitais, encontros e saraus no Rio de Janeiro e pelo Brasil afora com poetas como Paulo Sabino, Ricardo Silvestrin, Salgado Maranhão, Antônio Cícero, Anna Maria Fernandes, Tanussi Cardoso, Antônio Carlos Secchin e outros.

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade. www.ipc.pt/ipc/viver/cultura/ccps-digital

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados – poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Sol do Novo Mundo – Fatos e curiosidades sobre a Independência do Brasil e outras guerras e revoluções que impactaram o mundo (2022), Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), entre outros. Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, Pêro Vaz de Caminha, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens, entre outras.

Outras conversas: www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar

Informações:

www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar-com-luis-turiba

faleaquarela@gmail.com

Sherazades

Sherazades_capa_ps

AQUARELA BRASILEIRA Livros

orgulhosamente apresenta 

Sherazades, de Orlando Rodrigues

 

 

Há mundos para serem desvelados e o papel dos escritores é, muitas vezes, o de tirar o véu que cobre a vida cotidiana e levar os leitores por caminhos novos, ou mesmo já percorridos, mas que merecem nova atenção.

O professor e escritor Orlando Rodrigues mostra talento, sensibilidade e coragem em sua estreia na literatura. Em seu livro de contos, inspiradamente batizado de “Sherazades”, pulsa a vida, os sonhos, os sacrifícios, os desejos e o amor, sem freios, sem amarras, sem meias palavras. Em sua páginas há poesia, há beleza, mas também dor, saudade, crueldade e violência.

Suas palavras, ora doces, ora ácidas, constroem relatos sobre vivências de pessoas de várias classes sociais, raças e orientações sexuais, grande parte delas empenhadas em superar obstáculos e em viver com dignidade e prazer.

Nos oito contos que compõe a obra, Orlando fala de amizades, de solidariedade, de generosidade, de esperança, de amor verdadeiro, de coragem, de política, de preconceitos, de repressão da mulher, de glbtqqiaptsfobia, de desencontros de amor, da ignorância e da hipocrisia da classe média e dos ricos, mas também das qualidades da gente trabalhadora e honesta, muitas vezes invisíveis para a maioria.

Na sua galeria figuram personagens interessantíssimos: dois adolescentes da periferia de São Paulo a instantes de mudarem suas vidas radicalmente ou acabarem com elas, uma travesti tentando salvar a vida de duas crianças e a própria, uma família de classe media trazendo à tona toda a hipocrisia na qual está estruturada e uma família rica falida às vésperas de sua mudança para a periferia, três abandonados que se unem numa jornada em busca de esperança, um fugitivo político ressignificando seus valores e (pré)conceitos, duas operárias nordestinas tentando sobreviver no inferno capitalista, quatro amigas contando histórias que podem ser reais ou fictícias, entre outras. O que esses personagens têm em comum? Os contos deste livro nos mostram que é a capacidade de superação e ressignificação da própria vida. Assim como a velha história de Sherazade, todo mundo tem uma história para contar.

Ao final da leitura, o que percebemos é que o autor estende uma rede de cuidados e de solidariedade, e clama por mais humanidade. Tudo isso com humor e inteligência. O resultado é um livro que prima pela liberdade e pela emancipação do ser humano e que propõe um novo olhar para a diversidade do mundo real que nos rodeia.

 

SOBRE O AUTOR
Nascido em São Paulo em 13/09/1957, Orlando Rodrigues iniciou sua jornada pela literatura ainda criança, ouvindo as histórias de Alagoas que sua avó contava – histórias de cangaceiros, coronéis, almas do outro mundo. Graduou-se em Letras na USP e ministrou aulas de Língua Portuguesa na rede municipal de educação da cidade de São Paulo até se aposentar, em 2017. É um dos fundadores do Movimento Sol da Paz, da comunidade de Heliópolis, que milita pelos direitos humanos.

 

DADOS DO LIVRO
Título: Sherazades
Autor: Orlando Rodrigues
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Contos
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 156
ISBN: 978-65-86867-14-5
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/sherazades
Encomendas/Contatos com o autor: orlandojeronimodasilva@gmail.com

 

  

Aquarela Brasileira Livros
Brasil – Portugal
www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros
www.facebook.com/aquarelabrasileira
www.instagram.com/aquarelabrasileiramultimedia
faleaquarela@gmail.com

AS FADAS

AQUARELA BRASILEIRA Livros orgulhosamente apresenta

As_fadas_internet

A Aquarela Brasileira Livros orgulhosamente apresenta um dos grandes poetas e prosadores portugueses de todos os tempos.
“As Fadas” foi o único poema que Antero de Quental compôs dedicado às crianças.
Foi publicado na antologia por ele organizada com o sugestivo título de “Tesouro Poético da Infância”.
No mundo encantado das palavras, este é um poema para crianças, jovens e para adultos com coração de criança.

Este projeto da Aquarela Brasileira Livros, que conta com apoio da DGLAB – Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas / Ministério da Cultura de Portugal, tem como objetivo criar pontes com a boa literatura feita em Portugal. Para isso criamos a Coleção Portugal em Prosa e Verso, da qual fazem parte obras de Fernando Pessoa, Luís Vaz de Camões, Antero de Quental, Camilo Pessanha, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Castelo Branco, Pêro Vaz de Caminha, João José Cochofel, entre outros.

SOBRE O AUTOR

O português Antero de Quental (1842-1891) nasceu nos Açores, em Ponta Delgada. É considerado um das fi guras marcantes de toda a cultura portuguesa e o símbolo máximo da Geração 70 (do século XIX), formada por brilhantes intelectuais.
Poeta genial e prosador, é também referência obrigatória no ensaísmo filosófico e literário, na política militante, no jornalismo ou na literatura panfletista.
“Na prosa musical de Antero, polémica e crítica, de uma grande limpidez formal”, segundo Eduardo Lourenço, anteviu o poeta brasileiro Manuel Bandeira o início da moderna prosa lusa.
Entretanto, muito do que escreveu está esquecido ou praticamente ignorado, apesar dos amigos terem transformado as curiosidades sobre sua vida em uma fantasiosa novela. Todavia, passa-se o tempo e seu nome continua a figurar no rol dos grandes.

DADOS DO LIVRO
Título: As Fadas
Autor: Antero de Quental
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Poesia
Formato: 20 x 20 cm
Número de páginas: 24
ISBN: 978-65-86867-17-6
DL: 505323/22
Web: www.aquarelabrasileira.com.br/as-fadas
Encomendas/Pedidos: faleaquarela@gmail.com

 

Aquarela Brasileira Livros
Brasil – Portugal
www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros
www.facebook.com/aquarelabrasileira
www.instagram.com/aquarelabrasileiramultimedia
www.tiktok.com/@aquarelabrasileira_abm
faleaquarela@gmail.com

CORAÇÃO, CABEÇA E ESTÔMAGO

AQUARELA BRASILEIRA Livros orgulhosamente apresenta

Coração Cabeça e Estômago_Camilo Castelo Branco_capa promo

Esta é uma sátira de costumes que faz sorrir, que faz pensar! Trata-se de uma crítica social contundente e mordaz que tem por alvo a vulgaridade, a hipocrisia e a busca da riqueza a qualquer custo. Imaginativa e afiada, a escrita do autor continua tão atual no nosso tempo como no tempo em que foi publicada, em 1862.
O livro reúne três novelas, onde se aprende que, afinal, todos os dissabores da vida nascem da cabeça, do coração ou do estômago.
Ovídio, Adão, Noé, Rômulo, Camões, Shakespeare, Goethe, Dante, Petrônio, Junqueiro, Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Gonçalves Dias, Voltaire, Vítor Hugo, Deus, há um pouco de tudo nesse belíssimo romance de Camilo Castelo Branco, que veio a se tornar o primeiro escritor profissional em Portugal, dotado de uma capacidade prodigiosa para escrever a partir da observação da sociedade, com inclinação para a intriga e análise passionais.

Este projeto da Aquarela Brasileira Livros, que conta com apoio da DGLAB – Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas / Ministério da Cultura de Portugal, tem como objetivo criar pontes com a boa literatura feita em Portugal. Para isso criamos a Coleção Portugal em Prosa e Verso, da qual fazem parte obras de Fernando Pessoa, Luís Vaz de Camões, Antero de Quental, Camilo Pessanha, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Castelo Branco, Pêro Vaz de Caminha, João José Cochofel, entre outros.

SOBRE O AUTOR

Camilo Castelo Branco nasceu em 1825, em Lisboa, e faleceu em 1890, em São Miguel de Seide (Famalicão).
Com uma breve passagem pelo curso de Medicina, estreia-se nas letras em 1845 e em 1851 publica o seu primeiro romance, Anátema.
Em 1860, na sequência de um processo de adultério desencadeado pelo marido de Ana Plácido, com quem mantinha um relacionamento amoroso desde 1856, Camilo e Ana Plácido são presos, acabando absolvidos no ano seguinte por D. Pedro V.
Entre 1862 e 1863, Camilo publica onze novelas e romances, atingindo uma notoriedade dificilmente igualável.
Tornou-se o primeiro escritor profissional em Portugal, dotado de uma capacidade prodigiosa para efabular a partir da observação da sociedade, com inclinação para a intriga e análise passionais.
Considerado o expoente do romantismo em Portugal, autor de obras centrais na história da literatura nacional, como Amor de Perdição, A Queda dum Anjo e Eusébio Macário,
Camilo Castelo Branco, cego e impossibilitado de escrever, suicidou-se com um tiro de revólver a 1º de Junho de 1890.

DADOS DO LIVRO
Título: Coração, Cabeça e Estômago
Autor: Camilo Castelo Branco
Editora: Aquarela Brasileira Livros
Gênero: Romance
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 180
ISBN: 978-65-86867-19-0
DL: 508869/22
Web: www. aquarelabrasileira.com.br/coracao-cabeca-e-estomago
Encomendas/Pedidos: faleaquarela@gmail.com

Aquarela Brasileira Livros
Brasil – Portugal
www.aquarelabrasileira.com.br/aquarela-brasileira-livros
www.facebook.com/aquarelabrasileira
www.instagram.com/aquarelabrasileiramultimedia
www.tiktok.com/@aquarelabrasileira_abm
faleaquarela@gmail.com

VAMOS CONVERSAR COM ANDREIA AZEVEDO MOREIRA

Feed_vamos Conversar_Andreia Azevedo Moreira

VAMOS CONVERSAR é uma série de conversas com personalidades da literatura

 No dia 10 de novembro de 2022 o Centro Cultural Penedo da Saudade, do Instituto Politécnico de Coimbra, dá prosseguimento ao projeto Vamos Conversar, um ciclo de conversas e debates com personalidades da literatura.

A convidada de novembro é Andreia Azevedo Moreira, escritora, guionista, licenciada em Engenharia Florestal.

O projeto visa estimular reflexões sobre a cultura e a educação, dar ao público oportunidade de conhecer a obra e o pensamento de grandes escritores, e que o debate gere conhecimento e transformação.

Já participaram como convidados os escritores Onésimo Teotónio Almeida, Richard Zimler, António Carlos Cortez, Raquel Ochoa, Joana Bértholo, Maria João Cantinho, Elisa Lucinda, Alice Ruiz, Rosa Oliveira, Minês Castanheira, Carlos Nuno Granja, Ana Ventura, Aurelino Costa, Carlos Seabra, Vicente Paulino e Celso Borges.

Trata-se de uma realização do Centro Cultural Penedo da Saudade e co-organização da Aquarela Brasileira Multimedia, com mediação de Wagner Merije.

Vamos Conversar – Literatura, Florestas e Imagens: Uma conversa com Andreia Azevedo Moreira

Dia: 10 novembro de 2022 – Quinta-feira – Hora: 18:00 (Hora de Lisboa)
Com transmissão em directo para todo o mundo pelo facebook do Centro Cultural Penedo da Saudade: www.facebook.com/centroculturalpenedosaudade

Pode participar no Zoom através do link http://bit.ly/3ENjsLn com o ID da reunião 920 0572 8683 e Senha de acesso 410005

 Sobre a convidada
Andreia Azevedo Moreira nasceu em Lisboa (1978). Licenciada em Engenharia Florestal, trabalha com fundos comunitários. Escreveu os argumentos e os guiões das curtas-metragens «Espelho meu» (2018) e «A Escritora» (2019) em parceria com Hugo Pinto, o realizador, e o argumento/guião da curta-metragem «À vida» (48HFPLisboa), realizado por André Costa. Colabora com o projecto online «Fotografar palavras» idealizado por Paulo Kellerman. No papel, os contos: «Os cães ladram» («O país invisível», C.E. Mário Cláudio, 2016); «Mar Fechado» (Grotta n.º4, 2019/2020); «A vinte e quatro minutos da eternidade» e «Abel» (Ed. Minimalista, 2020 e 2021); «Pode um corpo morto», «As paredes em volta» e «Augustine e os maus sentimentos» (Nova Mymosa, 2019, 2020 e 2021). Ainda em 2022 será editado «Depois do abismo o canto dos pássaros.» (Nova Mymosa).
Para a escritora, liberdade e gratidão são verbos, e Pearl Jam, a banda sonora de sua vida.

Sobre o Centro Cultural Penedo da Saudade
Inaugurado em 18 de janeiro de 2019 e integrado no projeto cultural do Instituto Politécnico de Coimbra, o Centro Cultural Penedo da Saudade tem como objetivo primordial contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade deste Instituto numa complementaridade do que é já a produção cultural das suas unidades orgânicas. Também visa promover a partilha de eventos culturais e artísticos em Coimbra, quer através do reforço da divulgação quer, mesmo, através de intercâmbios. Encontra-o na zona do Penedo da Saudade, com uma bela vista da cidade. www.ipc.pt/ipc/viver/cultura/ccps-digital

Sobre o mediador
Wagner Merije é jornalista, escritor, editor e gestor cultural envolvido com projetos ligados à cultura, educação e meio ambiente em países como Brasil, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. É investigador na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Como jornalista, passou por redes de TVs, rádios, jornais, revistas e sites no Brasil, Inglaterra e Portugal. Escreve para todas as idades e tem 11 livros publicados – poesia, ficção e não ficção, entre os quais estão Sol do Novo Mundo – Fatos e curiosidades sobre a Independência do Brasil e outras guerras e revoluções que impactaram o mundo (2022), Conhece-te a ti mesmo – Pensamentos e práticas à procura de novas primaveras (2021), O Cotovelo Kovid (2020), Psyche & Hamlet vão para Hodiohill (2019), Astros e Estrelas – Memórias de um jovem jornalista em Londres (2017), entre outros. Como editor, publicou obras de Luís Vaz de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Mário de Sá-Carneiro, Camilo Pessanha, João José Cochofel, Pêro Vaz de Caminha, entre outros, e títulos como Coimbra em Palavras, Coimbra em Imagens, São Paulo em Palavras, São Paulo em Imagens.

Outras conversas: www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar

Informações:
www.aquarelabrasileira.com.br/vamos-conversar-com-andreia-azevedo-moreira

faleaquarela@gmail.com

Translate »